Rio Vegetal – “scene report vegan” – 1

Quem acompanha o Distrito Vegetal já deve ter percebido que muito do meu entedimento e abordagem sobre veganismo são importações,  adaptações e encaixes do modus operandi da cena punk-hardcore. Foi nesse subterrâneo que eu escutei pela primeira vez sobre estabelecer redes de solidariedade, criação coletiva de espaços comuns e organização não-hierárquica.  Foi também nesse espaço específico de articulação de contracultura,  a primeira vez que eu ouvi falar em vegetarianismo, veganismo, direitos dos animais e todas essas coisas loucas que eu ainda costumo acreditar.

Pois bem, aqui estou mais uma vez tentando estabelecer essa conexão de forma bastante explícita.

Em zines punks ao redor do mundo, um tipo de artigo bastante encontrado é o chamado Scene Report. Um Scene Report é uma espécie de relato com descrições de bandas, shows, zines e discos de um lugar específico. Se não estou enganado o primeiro Scene Report da cena punk brasileira foi escrito pelo Fabio do Olho Seco para o zine Maximum Rock ‘n’ Roll, de São Francisco, em 1983. Dá pra encontrar essa pepita aqui.

Como ultimamente o DV tem recebido cada vez mais visitas de outros estados, imaginei como seria simpático começar a publicar scene reports de comida vegan em outras cidades fora do nosso distrito. Acho que além de ser uma boa pra pessoas que viajam bastante, também não deixa de ser uma maneira legal de expandir o alcance da nossa comunidade.

Assim, para inaugurar essa nova seção, convidei meu grande amigo Andrei Dignart. Oriundo de Joaçaba, Santa Catarina, e com uma longa história de promoção não-militante do veganismo aqui no Distrito, ele hoje vive no Rio de Janeiro, onde entre um jogo do Botafogo e incursões de eremitismo, se especializou nas iguarias veganas da capital fluminense. Já fui apresentado a muitas delas, aliás, eu sou um dos ateus que gritou “aleluia” descrito no relato que vocês verão a seguir.

A ideia do Scene Report não é ser um índice completo de opções veganas de outras cidades (seria bacana se para isso fossem criados blogs específicos como esse aqui), mas apenas um pequeno guia de turismo vegano. Curto, simpático e com comentários bem parciais. Quem quiser mandar um guia da sua cidade,  seria sensacional. Adoraria receber indicações para  Mossoró Vegetal, Fortaleza Vegetal (quase um Earth Crisis esse – hehe), Porto Alegre Vegetal, Goiânia Vegetal (sem o pequi), etc. Mandem aí.  Basta escrever pra poneteo@gmail.com

Pois bem, já falei demais, aí segue o nosso primeiro ‘relato de cena vegetal’:

xxx

RIO VEGETAL

por Andrei Dignart

O Rio de Janeiro talvez encontre-se entre as cidades com as melhores opções veganas no Brasil, juntamente com São Paulo, Brasília, Curitiba e outras. Provavelmente porque o vegetarianismo é associado a uma dieta saudável, coisa muito popular aqui na terra das corporações Globo, onde muitos parecem estar preocupados com o corpo, a saúde, combinando tudo isso de maneira perigosa com um certo misticismo oriental. A pior parte disso tudo é que a maioria dos restaurantes vegetarianos da cidade tratam disso como um nicho de mercado muito específico, extremamente associado à pessoas de maior poder aquisitivo. Assim, a maior parte das dicas dessa postagem estarão localizadas no eixo Centro-Zona Sul. Imagino que isso não seja tão problemático em um blog de veganos do Distrito Federal, que na maioria das vezes visitam o Rio de Janeiro como turistas, concentrando os passeios nesse mesmo roteiro. De qualquer forma, espero que o espaço para comentários possa servir para que outras pessoas contribuam com dicas de estabelecimentos em outros locais e para corrigir eventuais enganos aqui cometidos.

– Refeitório Orgânico: De longe, meu restaurante predileto de comida vegana. Localizado em Botafogo, combina um ambiente agradável em um casarão com uma quantidade absurda de opções de pratos dos mais diferentes tipos. Existe uma opção de pagar uma certa quantia e comer até morrer, que é o que eu sempre faço. http://www.refeitorioorganico.com.br/

– Restaurante Tempeh: Restaurante-irmão do Refeitório Orgânico, possuindo a opção de buffet livre aos sábados. Próximo a Praça XV. Destaque para os dias com panqueca e bobó de shitake. Dos restaurantes da lista, é de longe o que eu mais frequento. http://www.restaurantetempeh.com.br/

– Reino Vegetal: Também no centro, outra opção de restaurante a quilo. Comida simples e saborosa, com um preço mais acessível do que os outros completamente veganos. http://www.restaurantevegetariano.com.br/

– Vegan Vegan: Outra opção em Botafogo, onde existe a opção de escolha entre dois pratos com direito a uma sopa ou salada de entrada. http://www.planetaorganico.com.br/veganvegan.htm

– Vegetariano Social Clube: Terminando as opções completamente veganas, o Vegetariano Social Clube, localizado na Conde Bernadotte no Leblon, tornou-se lentamente em um dos meus preferidos. Recomendo ir aos sábados, quando se tem a opção de buffet livre. São poucas opções, mas todas muito bem preparadas. Nos domingos tem um esquema semelhante ao Vegan Vegan. Outro ponto positivo é que ele abre quase todas as noites, com um cardápio à la carte com muitas opções. Outro destaque do estabelecimento é que provavelmente você nunca escutará uma música da Enya por lá. http://www.vegetarianosocialclube.com.br/

– Universo Orgânico: Chega a ser surpreendente a ideia de que é possível sair do Vegetariano Social Clube, dar poucos passos e poder achar outro local com tantas opções veganas deliciosas. O destaque do restaurante são as comidas crudívoras, que já fizeram até ateus gritar “Aleluia”. É realmente impressionante o poder que alguns dos pratos tem de derrubar qualquer preconceito que as pessoas possuem sobre alimentos crus. Ainda assim, o grande destaque vai para as numerosas sobremesas disponíveis e os shakes de leite de castanha (salvo engano, todos preparados com mel). http://www.universoorganico.com/

– Biocarioca: São tantas coisas bacanas sobre o Biocarioca que as vezes acabo esquecendo de falar como alguns pratos, especialmente os quiches de tofu, lá são deliciosos. O restaurante se preocupa em usar alimentos orgânicos sempre que possível, capricha nos ingredientes, mantém uma limpeza invejável, deixam marcadas quais opções do cardápio do dia são veganas e são, sem sombra de dúvidas, as pessoas mais simpáticas que poderão te atender. http://biocarioca.com.br/

– Fontes: Restaurante onívoro com um cardápio vegetariano que sempre possui opções veganas. Abre durante a noite. Ipanema. http://www.fontesipanema.com.br/

– Restaurante Amir: Outro grande destaque da lista, esse restaurante possui dois combinados vegetarianos, sendo um deles completamente vegano (o outro possui esfihas que não são veganas). Além disso, possui diversas porções de comida vegana, como o quibe vegetariano, beringela recheada, batata libanesa e etc. Ainda estou para conhecer um restaurante de comida árabe tão saboroso como o Amir. A verdade é que a culinária árabe possui naturalmente vários pratos preparados só com ingredientes de origem vegetal, sendo um dos lugares mais fáceis de um vegan se virar em uma emergência. Aqui no Rio, temos dezenas de estabelecimentos desse tipo, cada um com ponto positivo: Arab, Baghdad, Seu Nacib, Rotisseria Sírio-Libanesa, Al Khayam, Al-Khamar, Cedro do Líbano, Ben Ali, PIttas, entre outros que certamente esqueci. http://www.amirrestaurante.com.br

– Restaurante Bardana: Outra opção vegetariana a quilo no centro da cidade. Todas os pratos tem os ingredientes indicados. http://bardananatural.blogspot.com/

– Opium: Restaurante do Ipanema Plaza, só de opções asiáticas. O grande destaque vai para a arrumação dos pratos, com um deles sendo servido dentro de um abacaxi. Quatro opções veganas, se a memória não falha. $$$ http://www.ipanemaplaza.com.br/pt-br/restaurante-opium

– Green: Mais um vegetariano no centro. Raramente possui pratos quentes veganos, porém tem uma bela seleção de saladas com buffet livre. Preço atraente. http://greenrestaurante.com.br/

– Vegecoop: Outro restaurante com preço mais acessível no centro da cidade. http://www.restaurantenaturalrj.com.br

xxx
Anúncios

23 responses to this post.

  1. O Rio está bem servido de opções veganas. Compete pau a pau com Sampa. Aliás, ouso dizer que se fornos ver os restaurantes/cafés/lanchonetes e afins APENAS veganos, o Rio sai na frente. Será que é exagero? Enfim, morei um tempo lá e simplesmente amo aquele lugar. Já estou morrendo de saudades e acredito que esteja na hora de fazer uma visitinha e aproveitar pra conferir alguns dos locais que eu ainda não conheço dessa lista.

    Parabéns pela iniciativa! Essa ideia foi muito bacana.

    Abs,

    Mel Portela

    Responder

  2. Posted by Edith on agosto 3, 2011 at 20:10

    Nossa, apoiadíssima essa idéia! Nas minhas últimas férias, o que me salvou foi um guia que a Revista dos Vegetarianos publicou e eu achei qdo estava em Salvador, onde pelejei muuuito pra achar lugares, diga-se de passagem. Sampa eu não conheço, só fico sabendo as notícias e nessas horas tenho vontade de ir lá conhecer…já o Rio, além de lindo parece ser mesmo um paraíso vegano 🙂

    Mais um gol pro DV, Poney!!
    Bjão!
    Edith

    Responder

  3. Posted by D on agosto 3, 2011 at 20:48

    Aaai que lindo! =)
    AMEI
    Queria ter tido um guia desses quando me mudei pro Rio.
    até pesquisei na net mas eles indicavam lugares só pq tinham salada(!). Legal saber de coisas, perto de casa e de outros restaurantes que eu ia, e nem sabia da existência. DV dominando o Brasil já! haha.

    Responder

  4. Posted by leandro on agosto 3, 2011 at 22:54

    Representou Andrei!
    acrescento também o Laffa que tem um belo sanduiche de falafel =]

    Responder

  5. Posted by leandro on agosto 4, 2011 at 21:15

    tem também o Yalla no Leblon que é dos mesmos donos do Amir
    mas é mais esquema de lanche rápido e tal
    rola sanduiche de falafel também =]

    http://yallabyamir.com.br/

    E o Soba, também no leblon, que é de comida japonesa e possui boas opções vegan como biffum com cogumelos e etc..

    http://www.sobanoodlebar.com.br/site/

    sei que a idéia não era um guia completo..mas achei que seria legal dar umas sugestões hehe

    Responder

    • Posted by Andrei Dignart on agosto 4, 2011 at 21:25

      Legal, Leandro.

      Impossível colocar todas as opções em um só post. Tentei me concentrar especialmente nos restaurantes.

      Eu nunca comi no Soba, mas aqui perto de casa e em diversos outro lugares tem o Woksoba, que parece ser meio na mesma pegada. Tem algumas opções vegans, mas eu já tive umas experiências ruins que não vem ao caso.

      O Yalla também não conheço, mas parece ser na mesma pegada do Laffa, meio fast food árabe. Bem bacana. Eu tenho tantas opções de comida árabe aqui perto que acabo não me aventurando nas mais distantes. Antigamente tinha outro no Leblon que fechou, o nome do sanduíche era VEGAN. hehehe

      Responder

  6. Posted by Andrei Dignart on agosto 4, 2011 at 21:26

    E alguém sabe de alguma boa opção de comida japonesa? E chinesa?

    Podemos também fazer uma lista dos hambúrgueres existentes, né?

    Responder

  7. Posted by andrei on agosto 5, 2011 at 15:16

    QUERIA DEIXAR REGISTRADO QUE AGORA O TEMPEH TEM AS SEGUINTES OPÇÕES:

    25 reais o buffet (incl. sopa)
    28 buffet (incl. sopa) + suco ou sobremesa
    30 buffet (incl. sopa) + suco + sobremesa

    Responder

  8. Posted by poney on agosto 5, 2011 at 17:39

    TÁ REGISTRADO.

    Responder

  9. Posted by Marina Corbucci on agosto 11, 2011 at 18:18

    Dá-lhe Andrei! Mandou bem demais.
    O Vegetariano Social Clube é de longe meu favorito, me fugiu agora o nome do dono, mas ele é muito gente boa e todas as vezes que estive lá trocamos altas ideias. Ele até conseguiu a proeza, na época do Festival Vegano na PUC (2010), de fazer um festival vegano na rua do restaurante, no qual todos os estabelecimentos de lá desenvolveram um prato vegano e colocaram no cardápio. Isso em Bsb é meio impensável… Sem falar que lá tem pizza, estrogonofe, sorvete de gengibre, um sanduíche de seitan empanado no pão indiano SENSACIONAL… Aaaahhh, eu amo aquele lugar!
    Só uma correção: nem todos os shakes do Universo Orgânico (sim, o cardápio de lá realmente é de outro mundo) contém mel. No site eles indicam quais têm e quais não têm.

    Responder

  10. Posted by d on setembro 20, 2011 at 3:46

    Eu amo o vegetariano social clube tbm, principalmente por me devolver o hábito de pedir pizza por telefone *sai pulando*.

    foi dito que aqui passa o SP, eu nao sei se é só lenda e eu super-estimo lá, mas disseram que na rua quando foram pedir cachorro quente e disseram que queriam sem salsicha, o cara falou vc nao quer a vegetariana? vc quer a vegan é isso?

    po, se isso acontece comigo, ia começar a chorar. hausha
    em matéria de cachorro quente aqui eu não conheço nenhum, ainda mais um no meio da rua, dogão, podrão mesmo ter e tal.

    Se um dia vc estiver perdido-a no devassa mesmo sendo vegan, sxe (os dois por coincidência!) e anti sexista, mas estiver lá mesmo assim com as pessoas normais que vc conhece, nao precisará comer batata frita como sempre. Tem o hamburguer vegetariano, eu perguntei se tinha leite, ovo bla bla e, não sei se foi só pra me deixar feliz, disseram que era feito la e que nao tinha nao, aí tu pede com pao frances, é caro, tipo uns 18 reais se nao me engano mas é grandao como todo hamburguer feito no próprio restaurante, e vem com a outra metade do pratao com batatas fritas ou salada, dentro do sanduiche além do hamburguer vem tomate e alface.

    Responder

  11. Posted by d on setembro 20, 2011 at 4:21

    e comida japonesa, tinha a opcao de koni de shitaki no KONI mas tiraram. O sushi louco, que tem na barra e vai abrir agora na farme de amoedo em Ipanema tem no cardápio opcao com shitaki.
    No Koni, agora tem`Missoshiru
    Sopa a base de soja com tofu e cebolinha` por 9 reais.
    no big nectar da praça general osório garatiram que o pastel de palmito(grandao) é vegan, é bom q podem descobrir pra mim se era só p me deixar feliz tbm. na promocao com refresco é R$3,50 xD

    Responder

  12. […] Rio Vegetal – “scene report vegan” – 1 Like this:LikeBe the first to like this post. […]

    Responder

  13. […] Rio Vegetal – “scene report vegan” – 1 […]

    Responder

  14. Poney, tenho me aventurado numas experiências de sorvete vegano e consegui fazer o de Tapioca. Não ficou bom, não. Ficou IMORAL de tão saboroso. O negócio é gostoso demais, você não faz ideia. A dona da Sorbê é minha sogra e disse que tanto ele quanto o de Baru (que eu também fiz) podem, sim, fazer parte do cardápio da sorveteria. Todo final de semana, eles têm colocado pelo menos 2 opções dos cremosos sem lactose. E agora rola o Chocosoja sempre, de tanto que insisti, acho. Falei com uma das responsáveis pela produção e ela disse que vai ver se já coloca o Tapioca sem leite no final de semana que vem. A minha cabeça já está fervilhando de ideias para sabores nada convecionais de sorvetes veganos, coisa impossível de encontrar em Brasília. Se a Rita topar, esse esquema de sempre ter 2 veganos cremosos aos finais de semana vai ficar por conta das minhas “criações”. Por isso, tô pedindo sugestões e assim que confirmar essa possibilidade, queria saber se era possível você divulgar. Afinal, se o pessoal não for lá procurando, pode ser que a iniciativa acabe sendo furada.

    Abs!

    Mel Portela

    Responder

  15. Só pra constar: levei os sorvetes pra Marina fazer uma prova e ela adorou. Acho que tô no caminho certo. Seria querer demais vislumbrar uma pequena boutique de sorvetes veganos para um futuro próximo? Hahaha

    Responder

  16. Putz, agora que vi que colocquei no lugar errado. Era pra ter comentando no post sobre Fortaleza. Hahaha Merda!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: