Fortaleza Vegetal – “scene report vegan”

Junto com as águas de março, vem as pendências e saudades do verão.

Entre janeiro e fevereiro, tive a árdua tarefa de passar um mês peregrinando pelo estado do Ceará, tomando banho de mar e caçando comida vegan. Como fruto daqueles dias difíceis, de sombra, soja e água fresca,  apresento o nosso terceiro scene report* vegan, ou relato de cena vegana: Fortaleza Vegetal. Esse curto guia foi preparado a partir dos lugares que visitei nas férias de verão mais algumas coisas que a Mônica Viana compilou pra gente entre um ensaio do Skate Pirata e uma sessão de filme terror de terceira categoria.

Foi uma aventura divertida conhecer por mais de uma semana a dinâmica vegan de outra cidade. Em Fortaleza, o vegetarianismo estrito parece ser visto com olhos de estranheza ainda maiores do que por aqui. Talvez por isso mesmo, tive a impressão de que o pessoal curte um veganismo do “capim de nabucodonossor” (pra citar uma das críticas mais ácidas e desestimulantes que recebi quando comecei o Distrito Vegetal – mas que acabou virando uma gíria engraçada), daquele que sai pouco de casa e é bem desconfiado.

Munido da ingenuidade de turista sem desconfiança e como eu era um forasteiro sem casa, o jeito foi ir pra rua e chegar ao guia abaixo. Espero que curtam.

Quem quiser bolar um guia de sua cidade,  será muito bem-vindx.  Mandem aí.  Basta escrever pra poneteo@gmail.com

FORTALEZA VEGETAL

X da Miriam: Tem hamburger vegan (sem ser industrializado), cachorro quente e pastel de palmito. Tudo delicioso, gigante e com aquela cara junkie que a gente adora. Fica aberto até de madrugada e começou a disponibilizar opções veganas depois da sugestão e receita da Mônica. Demais, né? Se os arquétipos se repetem no mundo, o X da Miriam é o Sky’s de Fortaleza. Avenida Júlio Abreu Nº 160, Varjota.

Mandir: Foi o único restaurante vegetariano que almocei. Comida hare krishna, no esquema pratinho feito, com opções veganas. Fica dentro de uma casa, atrás da reitoria da UFC A tortinha de tofu é uma delícia. Ao fazer o pedido você já ganha um suquinho natural e uma rapadura de sobremesa. Bem simples, bem gostoso, bem barato, bem agradável. Rua Nossa Senhora dos Remédios, 158

Pasto e Pizza: Resolvi arriscar a pizzaria numa noite, grata surpresa. Tem uma parte logo no começo do cardápio que é só vegetariana e que mesmo as opções com queijo podem ser facilmente veganizadas. Fui incrivelmente bem atendido e me entupiram de pizza de cogumelos, abobrinha, berinjela e macarrão com brócolis, alho e olho e molho sugo. Pra comer até explodir. Eles tem seis endereços: http://www.pastoepizzas.com.br/casas.php

Acarajé da Praça do Ferreira: Talvez a comida mais gostosa de toda a viagem. Baratinho, ali no centro ferevente da capital cearense, o acarajé da praça do ferreira tem que virar roteiro oficial da visita a fortaleza. Com vatapá, caruru (menos ortodoxo, eu sei), vinagrete e pimenta pra onde os fracos não tem vez. Praça do Ferreira, Centro. (No calçadão da Beira Mar também tem um acarajé, menos gostoso, mas tá valendo).

Bar do reggae: Mais uma opção pra madrugada fortalezense. Sempre ao som de um peter tosh/bob marley, com um vele-tudo passando na TV e uma clientela que é um misto de boemia e hostilidade,  no Bar do Reggae dá pra  pedir o já lendário “Mystic Vegetalia”, um pastel gigantesco (pude perceber que é uma espécie de mania cearense) cheio de legumes que você nunca esperaria encontrar num pastel. Tipo brocólis, cenoura e uva passa. Eu piro muito. Praia de Iracema.

50 sabores: Resolvi entrar na sorveteria pra arriscar. Se eles tem mesmo “50 sabores”, alguma coisa sem leite tinha que ter.  Que grata surpresa quando avisto um cartaz gigante de “sabores sem lactose”, com uma porrada de coisa, entre eles chocolate e, pasmem, tapioca (!). Felicidade demais. Não bastasse tudo isso, a sorveteria foi criada por um cara da cidade da minha família paterna, Santana do Acaraú, onde eu tomei muito banho de rio e comi muita piaba frita. Tem em cinco lugares em Fortaleza: http://www.50sabores.com.br/50sabores/localizacao.php

Beach Park: Se você quiser dar uma de turistão extremo, como eu, não precisa fazer jejum no Beach Park. Tem um espetinho de batata que pode quebrar seu galho enquanto você espera a sua vez de descer no Insano.

Barracas de Praia: Quando você for a praia, (do Futuro,  Cumbuco, Morro Branco, Uruau…) a dica é pedir um baião-de-dois (confirmar se não vem com queijo) e uma macaxeira frita pra acompanhar. É quase certeza que você encontra esse combo vegan tipicamente cearense em quase qualquer lugar que você for.

Veg Gourmet: Esquema de entrega de marmita vegana em casa. Não pude experimentar, mas me disseram que é bem bom. Telefone (85) 3212 0282

Jericoacoara:
Na praia-paraíso de Jericoacoara também encontrei uma série de opções veganas pra você passar uma semana feliz e nunca mais querer voltar a sentir cheiro de asfalto pela manhã. No Bistrogonoff , eles servem uma refeição vegetariana com arroz, feijão, farofa, batata-frita e uma berinjela no azeite sensação. No Káfila, dá pra comer um sanduíche de falafel delicioso, gigante. Tem o Granola e o Café Brasil pra tomar açaí e na Pizzaria DellaCasa tem uma pizza deliciosa de abobrinha vegetariana que é só pedir pra tirar o queijo coalho. Provavelmente outras delícias veganas se escondem por aquelas ruelas de areia e eu espero voltar em breve para descobrir mais.

Sugestões da Mônica:

Restaurante Verdelima – Prezando pela alimentação “leve e saudável”, utiliza produtos integrais e orgânicos. É um restaurante natural, mas com ótimas opções vegetas. No site dá pra conhecer melhor (http://www.verdelima.com.br/).

São dois restaurantes na cidade: 1. Rua Dom Sebastião Leme, 837 – Fátima. Segunda a sábado, 11h30/14h30. (85) 3257.7013. 2. Rua Joaquim Nabuco, 1283 – Aldeota. Todos os dias, 11h30/14h30. (85) 3224.4807.

Brazilian Coffee – Além de um café gostoso, você pode encontrar salgados de soja e opções de bolos sem leite e ovos, como o de maracujá, laranja e torta integral de banana. Localizada no Shopping Benfica – Térreo.

Barraca Jambo – Aberta recentemente, não tenho muita informação sobre, mas na descrição do local, elas deixam claro que “tudo é natural, pois prioriza alimentos não industrializados, integrais e orgânicos. E, ainda, é uma excelente opção para quem deseja manter uma alimentação livre da exploração animal.” Ou seja, ganhamos mais uma opção. Localizada na praça de alimentação da Praça da Gentilândia.
Contato: Jambonatural@gmail.com

Praieiro – Além do açaí que você experimentou, lá tem opção de montar sanduíche vegetariano, o mesmo esquema do Subway. Só não possui uma opção de molho para os vegans, mas particularmente, não sinto falta. Os pães merecem um destaque, são artesanais e gostosíssimos, principalmente o de “alho com espinafre”. Mais informações: http://www.praieiro.net/ Endereço: Av. Júlio Abreu, 160. (continuação da Av. Dom Luís)

Wasabi – Não é muito difícil achar em Fortaleza, um lugar que venda comida oriental e que tenha opções pra comer, ou fazer adaptações de sushi, yakissoba, etc. No Wasabi não é diferente, mas em forma de rodízio. É só explicar o que quer e como quer e depois comer até não agüentar mais, como por exemplo, espetinho de brócolis e quiabo, missô,
yakissoba, sushis… Endereço: Rua José Vilar, 965. Aldeota.

xxx

* Em zines punks ao redor do mundo, um tipo de artigo bastante encontrado é o chamado Scene Report. Um Scene Report é uma espécie de relato com descrições de bandas, shows, zines e discos de um lugar específico. Como ultimamente o DV tem recebido cada vez mais visitas de outros estados, imaginei como seria simpático começar a publicar scene reports de comida vegan em outras cidades fora do nosso distrito. Acho que além de ser uma boa pra pessoas que viajam bastante, também não deixa de ser uma maneira legal de expandir o alcance da nossa comunidade.

A ideia do Scene Report não é ser um índice completo de opções veganas de outras cidades (seria bacana se para isso fossem criados blogs específicos como esse aqui), mas apenas um pequeno guia de turismo vegano. Curto, simpático e com comentários bem parciais.

Confira também:

Rio Vegetal – “scene report vegan” – 1

Aracaju Vegetal – “scene report vegan” – 2

13 responses to this post.

  1. Posted by Ely Costa on março 18, 2012 at 20:50

    Amei as dicas, sou da cidade e tô louca pra conhecer o X da Miriam!

    Responder

  2. Posted by Lion man on março 18, 2012 at 21:39

    A massa do pasto e pizza tem ovo! Vegan só a batata frita e a água.

    Responder

  3. Posted by gm on março 18, 2012 at 21:59

    Moro em Fortaleza e achei muito útil esse “scene report”. Muito obrigado!

    Responder

  4. Posted by Mônica. on março 18, 2012 at 23:45

    Corrigindo o “Brazilian coffee”, andei por lá esses dias e colocaram os ingredientes nas plaquinhas, e a maioria dos bolos tem ovos, ou acabaram as opções ou a mulher me enganou esse tempo todo, mas ainda achei um vegan, um bolo de “frutas”. E salgado continua tendo.
    E vou me informar sobre o Pasto e Pizza também, vai que tenha como fazer sem…

    Responder

  5. Posted by Joaquim on março 19, 2012 at 2:13

    Eo açai da fernanda? e uma lojinha de produtos naturais na praça do coração de jesus que vendia uns salgados vegans e ate glutén congelado nao existem mais?

    Responder

  6. Visitem também o Vegetariando por aí!🙂
    http://vegetariandoporai.wordpress.com/

    Responder

  7. Posted by Magalli on fevereiro 7, 2013 at 22:22

    Sobre o acarajé da praça do ferreira, vatapá, que eu saiba é feito de camarão ou frango, né, não? Obrigada pelas dicas, sou de Fortaleza.

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: