Archive for junho \24\UTC 2013

Aventuras de Avental: Sorvete de Amendoim Vegan

A Adriany ‘Drika’ Nascimento nos mandou mais uma receita para compartilhar aqui no Distrito Vegetal. Segue aí mais uma da série “Aventuras de Avental”. Se você também quiser compartilhar uma receita, escreve aí pra poneteo@gmail.com. Seja hipster e me manda uma foto da comida pronta de preferência, tá?

Dog-in-a-chefs-hat

Sorvete de Amendoim Vegan

por Adriany Nascimento

eu tava na casa de uma amiga que não é vegan e ela disse que tinha feito uma receita de sorvete de amendoin, tinha ficado muito bom e não sei o que e a gente resolveu adaptar. graças a shiva, porque esse é só o melhor sorvete vegan que eu já provei nessa vida!
 
 
Sorvete de Amendoim
 
1 xícara e meia de amendoim (claro, sem sal. mas pra falar a verdade eu peguei um amendoim salgado e lavei! hahaha), 1 lata de leite condensado de soja, meia caixinha de creme de soja (creme de leite só que de soja, duh), umas 300 ml de leite de soja (ou de aveia, ou de arroz ou do que você quiser. só que esses outros leites são mais aguados e o sorvete vai perder um pouco a consistência).
 
é bom ter um processador né, mas eu fiz tudo no liquidificador e ficou lindo!
primeiro vc bate só o amendoin mesmo! vai forçar de leve o seu liquidificador e se não bater tudo vc tem que ficar dando aquela mexidinha pra destruir os amendoins inteiros. depois de bater tudo, ele vira tipo uma pasta, porque amendoin é só gordura, né. e isso que é maravilhoso! porque ele deixa o sorvete com uma consistência de sorvete, o que é difícil em sorvete vegan, ainda mais feito em casa..
depois da pasta você bate o leite condensado e o creme de leite junto e por último vai colocando o leite, devagar, porque na receita original tá essa quantidade aí mas eu não usei tudo. fui colocando aos poucos e da pra ver quando tá com uma consistência boa.
como eu sou viciada em açúcar e eu tinha glicose de milho do meu lado, eu adocei de leve com isso. mas na real eu acho que nem precisa de açúcar não, eu que tenho esse problema. prova aí e vê o que que você acha!
 
aí você coloca no freezer de um dia pro outro e tá pronto! ele fica com uma consistência melhor se você bater de novo, espera umas 10h e bate de novo no liquidificador.
 
8715_610820462275501_184285228_n
Anúncios

Caferó: coxinhas, croquetes, veganismo e autogestão

3feb-revolution-dog-wwpics-431

 

Na minha cabeça, veganismo tem tudo a ver com tentar enxergar os processos de produção e alienação da nossa alimentação. Aquele hamburger do seu fast food favorito tem uma história (que a maioria das pessoas não quer saber) até chegar a você, ascético e bem apresentável.

Por isso mesmo o veganismo bacana é aquele que não está interessado em muitas distinções entre “o que” se produz e o “como” se produz. E é por isso que quem curte um veganismo bacana tem que conhecer o Caferó, na 307 norte.

Se liga no que você pode encontrar por lá:
Salgados veganos –  coxinhas, croquete de lentilha e calzone de tofu.
Tapiocas veganas –  homus, beringela, tomate seco, abobrinha, opção doce com chocolate vegan, ou melaço e frutas e por aí vai. Cada um monta a sua como quer.
Além da opção do Tofupiry, para tapiocas e bruschettas.
 Toda semana rola uma sobremesa vegana também, que varia, des de beijinho a pavê de amêndoas. Além disso, o  pessoal lá periodicamente realiza eventos veganos, como a hamburgada, o jantar romatiquinho e a açaízada.
O cardápio não é exatamente fixo, mas pela melhor das razões. O café é autogestionado (isso significa que você pode participar!) e o foco é o escoamento de produtos artesanais e de agricultura familiar.  Os fornecedores, quando não numa urgência do dia a dia, são sempre  nesse esquema, desde os ingredientes para cozinha até a cachaça.
Além disso ainda tem encomendas! De pão integral,  normal, com castanhas e com frutas.
Não falei que era bacana?

Serviço:
Caferó –  CLN 307 Blc A Loja 10
http://www.facebook.com/caferocafe